7 de abril de 2014

CAMS, a visão estratégica por trás do conceito.

Boa tarde gestores,

No final da década de 90 a maioria absoluta dos sistemas utilizados por empresas de todos os portes e indústrias, era desenvolvida em Cobol, principalmente no setor financeiro.

Passei por essa fase, e é incrível observar e acompanhar toda essa evolução, nesses 25 anos
a indústria de TI passou por uma enorme transformação, semana passada eu e o Prof. Luciano participamos de um encontro na IBM, onde foi discutido o “Futuro do conhecimento”, abordando os temas mais discutidos na área de TI, são os CAMS,  Cloud, Analytics, Mobile e Social, assuntos que consomem grande parte dos investimentos e do tempo dos executivos da área

Analiso esse mercado, da seguinte maneira, o ritmo da mudança aumentou exponencialmente devido a enorme quantidade de novos entrantes no mercado, aumento significativo de fusões e aquisições no setor de TI, e empresas de venture capital, investindo em projetos voltados para o mundo corporativo.

Se analisarmos o contexto, temos um numero cada vez maior de dispositivos “espertos”, os smartphones, que só não são mais potentes por problemas relacionados à energia, problemas relacionados à duração da bateria.

A internet das “coisas”, também possuem dispositivos espertos,  onde tudo pode ser controlado remotamente e os equipamentos se adaptam às suas necessidades.

Uma infinidade de sensores, câmeras de vídeo, controles de acesso, espalhados por todos os cantos, canais de conteúdo específico, usuários, relações e transações comerciais, redes sociais e muito mais.

Nesse contexto foi desenvolvido o conceito do que agora chamamos de CAMS, Cloud, Analytics, Mobile e Social.

Somente em 2013 foi gerado um volume de dados, de aproximadamente 4 zetabytes, não faço a mínima ideia do que isso significa em quantidade, e nem sei como isso foi mensurado, mas o conceito do CAMS, se aplica nesse contexto.

As empresas de TI, acompanham de perto esses processos, participando ativamente no desenvolvimento de serviços e soluções,  vamos analisar cada um dos compenentes dos CAMS.

Cloud

Ao meu entender o Cloud , é um "modelo de entrega de tecnologia", a solução entregue para o cliente é a computação na nuvem,  na prática, ele não vai precisar manter em suas instalações, infraestrutura de TI, ou seja  vai acessar por navegadores web em sistemas que estão hospedados em servidores em algum lugar, fora de sua empresa.

E nem vai precisar de funcionários especializados para o departamento de TI, fatores que apontam para uma  boa economia.

Analytics

Conforme já comentado em 2013 foram gerados aproximadamente 4 zetabytes de informações, e isso, representa 4 vezes mais de tudo o que foi produzido em 2010, essa grande massa de informações não está armazenada de forma estruturada e cerca de 80% de tudo o que é gerado está em texto, em emails, em tweets, em posts, instant messages, videos, etc.

Mas se temos essa quantidade de informações em “texto”, para obter algo de útil dela,  é necessário termos condições de analisar seu significado, e esse é o X da questão, muito mais complicado do que simplesmente usarmos um supercomputador.

A IBM, com sua incrível história de desenvolvimento de super computadores, (Deep Blue, Blue Gene) lançou o Watson, um sistema, composto por hardware, software e serviços, que inaugurou uma nova era na história da computação, a da Computação Cognitiva.

Esse equipamento abre espaço para que seja possível estudar com muito mais critério enormes quantidades de informação, nos mais diferentes formatos, em qualquer campo da ciência como, por exemplo, na medicina, na exploração de petróleo, educação, comércio, pesquisa de novos medicamentos, etc.

Mobile

O "M" de CAMS vem da Mobilidade, já existem dezenas de milhares de aplicativos que exploram dispositivos moveis como tablets ou smartphones e existem bilhões destes dispositivos móveis, não podemos ignorar o fato de que as pessoas não trabalham apenas em seus escritórios, da mesma forma que hoje é comum navegar na Internet em qualquer local, todos os sistemas devem ser desenvolvidos considerando essa questão.

Cada vez mais novos dispositivos são utilizados de forma móvel, os automóveis estão necessitando de sistemas integrados a GPS, voz e imagem, equipamentos de fitness, acessórios diversos, relógios, óculos, gerando informações que precisam ser processadas, para que de alguma forma para tenha valor.

Cabe as empresas, garantir que os produtos ganhem escala, garantia de funcionamento mesmo com as mais diversas bandas de internet disponíveis, integração com outros sistemas corporativos e, principalmente, muita segurança.

Social

Social é um dos pilares estratégicos de qualquer organização, desnecessário dizer todo o esforço e investimento que vem sendo feito nos últimos anos, nesta área.

As soluções de Social Business utilizadas pelas grandes corporações, hoje já colhem os resultados de uma maior colaboração entre seus funcionários, maior agilidade, comprometimento, troca de informações e inovação, esses são sem dúvidas benefícios que devem ser ponderados, as empresas de TI devem investir nas áreas de segurança, integração, escalabilidade e mobilidade, as soluções podem ser utilizadas diretamente nas instalações do cliente, na nuvem ou em um ambiente híbrido. O cliente escolhe.

Finalizando

Esse conceito é muito mais do que um produto ou uma solução, é uma "visão estratégica", desenvolvida com base em pesquisas de mercado, é uma nova etapa da evolução acontecendo, com o poder de transformar o mundo corporativo como o conhecemos.

Hoje em dia, nos perguntamos “como vou viver sem internet e smartphone?”

Entendo que em poucos anos, será difícil imaginar como trabalhávamos sem Cloud, Analytics, Mobile e Social.


Sucesso a todos,

Nenhum comentário: