25 de julho de 2013

Desemprego, mais um sinal de esgotamento da nossa economia.

Boa tarde gestores,

Os sinais de deterioração da economia brasileira, são claros, fiz alguns comentários, "A brincadeira acabou" e Governo esquece da economia.

Ao que comentei  soma-se agora  a taxa de desemprego que apresenta alta em relação ao mesmo mês do ano anterior, esse dado negativo no mercado de trabalho é particularmente ruim na conjuntura atual, em que os indicadores da economia estão desmoronando.
Parece pouco mas está em viés de alta

A confiança da indústria em julho, por exemplo, caiu 3,7 pontos em relação a junho e atingiu o menor nível em quase quatro anos. Isso não é novidade, a produção industrial encontra-se no mesmo patamar de 2008, e o governo vem prejudicando o setor nos últimos anos pela sobrevalorização do real diante do dólar e pelo choque interno de custos, impostos e blábláblá.

Outro indicador preocupante é o consumo, na visão de consumidor, começo a duvidar do meu próprio poder de compra, devido á inflação, juros e etc. em especial no mês de julho, onde os produtos fora da cesta básica e do IPCA apresentaram um aumento expressivo.

Portanto se senti isso no bolso, as outras famílias passam também a desconfiar de seu poder de compra no futuro, aspecto reforçado pela piora da confiança quanto ao emprego atual, que teve queda de 11,4 pontos, isso é um fato.

De acordo com os mestres economistas, a confiança é um componente essencial da dinâmica econômica, a confiança impulsiona a disposição de empresários e consumidores para investir e comprar, e sem ela, a demanda da economia cai, iniciando-se um ciclo recessivo que a prejudica ainda mais, formando um círculo vicioso, isso é um fato.



O governo preocupado em manter índices de aprovação elevado, caiu nessa armadilha ao conduzir a política econômica de forma errada e interferir, muitas vezes de forma autoritária, na dinâmica empresarial de vários setores.

O paradoxo da resistência do emprego no cenário de baixo crescimento do PIB,  aparente começa a se resolver, da pior maneira, a taxa de desemprego de junho de 6%, ainda é baixa, mas a primeira elevação do índice (na comparação anual) desde agosto de 2009 indica mudança de tendência no mercado de trabalho, ou seja agora existem mais pessoas procurando emprego do que vaga disponíveis, isso é um fato.

As manifestações chamaram a atenção para diversos pontos de descontentamento e contribuiu para a queda dos índices de confiança, isso é um fato.


Depois de 25 anos trabalhando na inciativa privada, e conhecedor do mercado de trabalho, pelo jeito a reversão desse quadro será difícil, justamente pelo custo de contratar e demitir, observando outras economias o emprego é o último a sair da inércia diante de mudanças de cenário, mas uma vez em movimento, é difícil de parar, e isso é um fato.

Sucesso a todos,

Nenhum comentário: