11 de abril de 2012

Restrições na Marginal Tietê completam um mês.


 Bom dia gestores,

Após um mês de proibições aos caminhões na Marginal Tietê e outras 25 vias de São Paulo, os números das restrições mostram que a cidade já sente os efeitos da medida em seu cotidiano. De acordo com o levantamento divulgado na última quinta-feira pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), houve melhora de 12% nos congestionamentos da Marginal durante o horário de pico da manhã, efeito esperado pela Prefeitura.

Mas, em contrapartida, os números do trânsito da cidade mostram que, entre as 9h e as 17h, período liberado para o tráfego dos caminhões, houve piora no trânsito, de quase 4%. O motivo: o grande número de veículos disputando as vias em um horário concentrado, causando um efeito indesejável.

A CET já emitiu, desde 5 de março, quando a medida entrou em vigor, 81 mil multas para os veículos que não respeitaram os horários de proibição. As restrições na Marginal Tietê valem, de segunda a sexta, das 5h às 9h e das 17h às 22h, e, aos sábados, das 10h às 14h. Quem não respeitar a regra está sujeito à multa de R$ 85,13 e quatro pontos na CHN.

Para as empresas de transporte que operam na cidade e que utilizam São Paulo como passagem para o acesso a importantes rodovias, como os sistemas Anchieta-Imigrantes, Anhanguera-Bandeirantes e Raposo Tavares-Castello Branco, as restrições aos caminhões na Marginal Tietê são mais um entrave para o trânsito na cidade.

Entidades que representam as transportadoras, como SETCESP, Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região, refutam os argumentos da Prefeitura e se colocam contrários às medidas. “Não se pode restringir o caminhão na Marginal Tietê sem que haja alternativas, como o Rodoanel. Hoje, só temos os trechos sul e oeste operado e o tráfego de passagem não tem para onde ir. Estas restrições, além de terem vida curta, como vimos na Marginal Pinheiros, aumenta o custo do transporte na cidade e não melhoram o trânsito”, comenta o presidente da entidade, Francisco Pelucio.

O problema de mobilidade urbana está piorando a cada dia, a falta de investimentos, alta tributação, falta de planejamento e pouquíssima vontade política, transforma nossa vida em um caos sem tamanho.

Antes da restrição quando deixava o Parque da Juventude as 22h30, e utilizava o automóvel (Centro-Bairro) chegava em casa em 25 minutos, agora fluxo de caminhões é tão grande que faço o mesmo trajeto em uma hora e quinze minutos. 


Sucesso a todos,

Nenhum comentário: